Visita ao vet

Febre maculosa: meu cachorro ou gato pode ser contaminado?

Febre maculosa: meu cachorro ou gato pode ser contaminado?

Infecção bacteriana pode ser transmitida tanto aos seres humanos quanto aos animais; cães estão mais vulneráveis que gatos

A febre maculosa é causada por uma bactéria do gênero Rickettsia e sua transmissão se dá pela picada de carrapatos infectados, principalmente pelas espécies Amblyomma sculptum (carrapato-estrela) e Amblyomma aureolatum (carrapato-amarelo-do-cão).

Alguns casos graves da febre maculosa têm evolução rápida dos sintomas e letalidade crescente. Por isso, infectologistas vêm discutindo e orientando sobre a doença, os riscos e métodos de prevenção.

Saiba como como a febre maculosa pode impactar seus pets e formas de se prevenir.

Carrapato-aranha
Carrapato-aranha – transmissor da febre maculosa

Sintomas da febre maculosa

É importante, primeiramente, ressaltar que os sintomas da febre maculosa começam similares aos de outras doenças, como dengue ou leptospirose.

Dessa forma, dar o seu diagnóstico pode ser um processo mais complexo ou demorado. Especialmente, quando não surgem as manchas vermelhas, consideradas decisivas para o diagnóstico.

Os principais sintomas nos humanos são febre alta, dores intensas na cabeça e nos músculos, náuseas e vômitos, diarreia e dor abdominal.

Sintomas febre maculosa
Sintomas da febre maculosa

Os pacientes também podem sofrer de inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés, além de apresentar estado de necrose nos dedos e orelhas ou, ainda, ter paralisia dos membros inferiores — que pode chegar até os pulmões, causando parada respiratória.

Sintomas em cães

Nos cães, os sintomas podem ser febre, indisposição, perda de apetite, manchas vermelhas pelo corpo e sangramento. Tosse, dificuldade para respirar e perda de peso também podem se manifestar.

Na fase final da doença, ainda pode haver necrose das extremidades e sinais nervosos, como fraqueza muscular, convulsões e síndrome vestibular.

Os gatos têm menor possibilidade de se contaminar por ser muito raro que eles tenham contato com carrapatos.

O período entre a infecção e a manifestação dos sintomas vai de 2 a 14 dias após a picada. Além disso, é importante saber que o carrapato precisa ficar preso ao hospedeiro, pelo menos, por 4 horas para realizar a transmissão.

O diagnóstico se confirma através de exames laboratoriais diversos e o tratamento se dá por antibiótico específico. Além disso, o Ministério da Saúde recomenda que o tratamento se inicie a partir da suspeita da infecção. A falta ou demora do tratamento podem agravar a situação, podendo levar à internação hospitalar ou a óbito.

Para se prevenir da febre maculosa

Proteja-se com repelente
Proteja-se com repelente

A melhor coisa que você pode fazer neste momento, pela sua saúde e do seu pet é tomar medidas preventivas e se cuidar.

Essas espécies de carrapatos podem se encontrar em espaços como fazendas, chácaras e lugares abertos. Portanto, caso você precise ir a estes lugares, se recomenda:

  • Usar calças, botas e blusas de mangas longas. Se sua roupa for de cor clara, torna-se mais fácil de identificar o parasita;

  • Utilizar repelente com proteção anti-carrapatos;

  • Fazer inspeção na própria pele. Afinal, quanto antes você remover os carrapatos do corpo, menor é o risco da infecção. O mesmo serve para seus pets. Esteja sempre conferindo eles!

Saiba mais sobre mitos e verdades sobre a febre maculosa com a Médica Veterinária Caroline Bierbaumer, especializada em cirurgia de pequenos animais, animais silvestres e exóticos.

Remova os carrapatos
Remova os carrapatos com segurança!

Cuidados indispensáveis contra o carrapato

Caso você identifique um carrapato, na hora de remover ele, não aperte, queime ou esmague!

Se isso ocorrer, ele pode soltar mais saliva no seu organismo, multiplicando o contato com a bactéria que causa a febre maculosa.

A forma correta de remover o parasita é com o auxílio de uma pinça. De forma sutil, torça o carrapato até que consiga remover a boca dele da sua pele ou da pele do seu animalzinho.

lembre-se: caso você comece a apresentar sintomas ou identifique os sintomas nos seus pets, vá imediatamente ao médico ou veterinário!

Saiba mais sobre prevenção a carrapatos e pulgas