5 Cuidados fundamentais antes de adotar um pet não convencional

5 Cuidados fundamentais antes de adotar um pet não convencional

Os pets não convencionais, também conhecidos como pets silvestres ou exóticos, estão ganhando espaço e conquistando o amor dos mais diversos tutores

São animais lindos e incríveis que podem ser escolhidos desse grupo versátil onde cada espécie vem com manejo, alimentação e ambiente ideais.

Para criar um pet silvestre ou exótico saudável e feliz é necessário que haja disciplina e estudo por parte do tutor.

Por isso, vamos ver 5 cuidados fundamentais antes de adotar um pet não convencional:

1- Conhecer a espécie: é muito importante entender o pet que você quer adotar. Seja ave, réptil, roedor, lagomorfo ou peixe. Compreender a espécie é de suma importância para proporcionar o cuidado específico e o manejo adequado, prevenindo as doenças e aumentando as chances de uma vida longeva.

2- Conversar com a família: adotar um pet diferente é uma grande responsabilidade. Todos os familiares da residência devem estar cientes e alinhados com as necessidades desse novo membro da família, para que não haja falhas de manejo.

3- Pesquisar os custos: como todo bichinho de estimação, os pets silvestres e exóticos precisam de atendimento médico e cuidados periódicos. Além disso, os custos da ambientação e da alimentação devem ser considerados para ver se encaixam no orçamento.

4- Respeitar a espécie: alguns animais, como as serpentes, possuem alimentação estritamente carnívora, comendo presas inteiras. É necessário respeitar as características fisiológicas dos pets, assim como as suas necessidades nutricionais. Jamais devemos impor uma nutrição não natural àquela espécie. A beleza dos pets silvestres e exóticos reside na sua grande diversidade! Temos pets estritamente herbívoros, como os coelhos, chinchilas e porquinhos-da-índia, que são opções incríveis para os tutores que se identificam com esse estilo de dieta (veganos e vegetarianos).

5- Pensar na rotina: alguns animais exigem manejo diário e frequente, como por exemplo as aves. Outros animais necessitam de manejo periódico e espaçado, como alguns répteis. Ainda temos os que apresentam hábitos diurnos e outros crepusculares. Considerar a rotina de cada pet para encontrar uma companhia compatível com o seu estilo de vida é fundamental para o melhor manejo.

Texto: Victória Wetzel