Como melhorar a qualidade do meu cão idoso?

Como melhorar a qualidade do meu cão idoso?

O mercado Pet tem evoluído muito e hoje em dia encontramos diversos  produtos específicos para as necessidades do seu animalzinho.

É importante lembrar que cada paciente tem suas necessidades específicas, por isso, é fundamental o acompanhamento de um médico veterinário geriatra, para que se possa alinhar juntos (médico e tutor) quais serão os mais benéficos.

A médica veterinária Barbara Porciúncula separou alguns acessórios que indica e acredita que melhoram a qualidade de vida do seu cão idoso:

  • Escadinha pet: É um item obrigatório, já que a artrose é bem comum nessa fase, além de outras doenças musculoesqueléticas que acabam privando certos movimentos do seu cão. É possível ser feita em casa, mas algumas são criadas para atender a necessidade do pet, como se transformar em rampa, serem portáteis e antiderrapantes. Elas podem ficar no sofá, na cama ou outros lugares altos que o cão subia antes e agora acaba tendo mais dificuldade;
  • Cama confortável: Bem acolchoada e com cobertorzinhos sempre limpos e sem amaciante ou outros produtos de limpeza que possam causar alergia. De preferência, tenha uma em cada peça da casa (sala, quarto e varanda principalmente) para que ele possa escolher onde prefere ficar em cada momento do dia, confortavelmente. Os cobertorzinhos são fundamentais mesmo no verão, pois idosos sentem mais frio. Use peças mais leves no verão e mais grossas no inverno;

  • Tapetes ou pisos antiderrapantes pela casa: Não é necessário você trocar todo porcelanato da sua casa, caso seu piso seja liso, invista em tapetes se for mais econômico. O importante é evitar que seu cão acabe escorregando e se machucando;
  • Carrinho (estilo de bebê): Siim! Algumas pessoas humanizam cães e compram produtos desse tipo sem nenhuma necessidade, mas a verdade é que o carrinho pode ser um grande aliado quando seu cão não tem mais o pique de antigamente para passeios rotineiros e acaba “empacando” no caminho. É uma maneira de você manter os passeios diários, proporcionar interação e não excluí-lo do mundo. Sempre estimule a caminhada, mas leve o carrinho e use quando ele estiver exausto!

O importante é alinharmos  estratégias para fornecer qualidade de vida nessa fase!

Texto: Barbara Porciúncula